02/12

Sim, o turismo baiano tem praias, carnaval, música, acarajé, hospitalidade e, para ficar no topo de qualquer sonho de viagem, a Chapada Diamantina no centro do estado.

É uma área abençoada de 38 mil km2, cercada por pelas montanhas mais altas do Nordeste Brasileiro, com um grande manancial de águas e flora e fauna exuberante. Toda essa riqueza natural abriga tantas atrações que dá para ficar um mês por lá e ainda não ver tudo...

As mais conhecidas e visitadas são a Cachoeira da Fumaça, a Pratinha, o Poço Azul, o Poço Encantado, o Morro do Pai Inácio,  a Trilha do Pati, Vale do Capão, a Cachoeira do Buracão – mas é bom você saber que, só de cachoeiras, são 360 já catalogadas. 

 

Segue pela lista de grutas – da Torrinha, da Lapa Doce, da Fumaça, do Lapão – e por aí vai se formando um destino perfeito para quem ama roteiros de ecoturismo com muita aventura e paisagens de tirar o fôlego

Riqueza arquitetônica e agroturismo

Muito além do ecoturismo, a região tem ainda como destaque um roteiro de charme e história – as suas pequenas cidadezinhas. Rio de Contas, Lençois, Morro do Chapéu, Igatu e Mucugê são as principais para sua visita. 

Mucugê, por exemplo, com seus casarios, ruas de pedras e prédios históricos é tombada como patrimônio nacional pelo Iphan e abriga o único cemitério em estilo bizantino do Brasil. 

E, para incrementar as opções de turismo por lá, um novo nicho vem se fortalecendo, o chamado turismo rural, que engloba visitas à fazendas, conhecendo mais sobre produção agrícola local e, claro, a melhor parte, com direito à degustação e comprinhas.

Entram nesse roteiro as plantações de morangos orgânicos em Mucugê, as de café em Piatã e a Fazenda Vaccaro em Rio de Contas com sua premiada cachaça Serra das Almas. Ou seja, mais passeios imperdíveis para você fazer quando for à Chapada!